Por que existem tantos Joãos (e Marias) Depois-eu-Faço? Como eu já disse, é necessário ter um objetivo, um sonho, para formar uma meta. Se uma pessoa não souber aonde quer ir, não irá caminhar. Contudo, nem todo “João Depois-eu-Faço” é um “sem-sonho”! Mas, se existe o sonho no coração da pessoa, por que ela continuaria apática?

Com certeza, você conhece muitas pessoas que passam o seu dia, e a noite também, dando desculpas para não agirem AGORA. Muitas até acreditam que “depois” farão, mas vão deixando para “depois” e nunca cumprem o que prometem para as pessoas mais importantes: elas mesmas!

Vamos analisar agora aqueles que considero serem os três grandes motivos que geram apatia em alguém e o impede de caminhar rumo ao seu sonho. Essa apatia crônica é uma doença. E uma doença transmitida por três terríveis vírus, que uma vez inoculados, deixam a pessoa “mole” e sem iniciativa.

Vírus 1: Preguiça
O vírus da preguiça é traiçoeiro e se esconde de diversas formas. Pode ser difícil detectá-lo porque o nosso negócio é um negócio de liberdade, você não tem nenhum cartão de ponto para bater e pode, facilmente, usar essa liberdade para não fazer nada.

O vírus da preguiça vai se instalando aos poucos até dominar completamente o doente. De todos os três vírus, o vírus da preguiça é aquele que o Empreendedor tem mais resistência em assumir a contaminação.

Você não tem patrão e pode ficar dias (semanas, meses, ou mesmo anos) dizendo que não tem tempo para se dedicar ao negócio, gerar volumes e desenvolver sua rede. Mas, na verdade, não será que você está tentando fugir do trabalho extra? O problema é que sem o “trabalho extra” você não terá a sua “renda extra” e muito menos a sua liberdade financeira. Se isso acontecer, o diagnóstico, infelizmente, não pode ser outro: você foi contaminado pelo vírus da preguiça.

Um dos disfarces que o vírus da preguiça assume é o da “falsa delegação” ou “gerenciamento”. Delegar é algo fundamental no nosso negócio. Você não deve fazer pelos outros o que eles próprios podem (e devem) fazer. No Multinível, devemos criar líderes, e não pessoas dependentes. Entretanto, o que muitas pessoas fazem não é delegar, mas sim ABDICAR. Elas abdicam das suas responsabilidades “largando” seus patrocinados e sua rede.

Ao delegar você oferece apoio, continua ao lado das pessoas, lhes dando a orientação necessária para que possam desenvolver bem o negócio. Esse apoio e orientação significam muitas vezes ensinar “na prática”, pois essa é a melhor forma de ensinar. Mas você deve deixar claro que nem sempre estará com eles, e, por isso, eles precisarão aprender a atuar sozinhos. Lembre-se de que cada um é dono do seu próprio negócio, e você acredita neles como LÍDERES de seus negócios e de suas próprias vidas.

Além disso, você não deve parar de fazer o trabalho de base. E o verdadeiro trabalho não é promover infindáveis reuniões para ficar conversando sobre o negócio com a sua rede. É ter espírito de liderança e iniciativa. É mostrar na prática como se faz. É convidar e patrocinar novos empreendedores, gerando volume e mostrando seu compromisso com a sua rede, o seu negócio e, principalmente, com o seu sonho.

A cura: Vacina TTC
Para acabar de vez com o vírus da preguiça, indico a vacina TTC. Esse é um método simples e muito eficiente. Você pode utilizá-lo independentemente da sua experiência prévia no negócio ou nível de qualificação. Você também pode indicá-lo para qualquer pessoa da sua rede que sofra desse mal. A fórmula da vacina TTC é simples: Tire o Traseiro da Cadeira!

Isso mesmo! Vá agir agora! O preguiçoso é sempre um perdedor! Não aja como um perdedor! Vá conquistar o seu futuro agora! Você é um CAMPEÃO! Ou será que o seu desejo de ser bem-sucedido não consegue ser maior do que o seu desejo de assistir à televisão?

“A preguiça anda tão devagar que a pobreza facilmente a alcança.”
(Confúcio)

O Marketing Multinível é um negócio e, como qualquer negócio sério e honesto, exige trabalho. Sem trabalho não existe sucesso. Não adianta você ter o melhor produto, a melhor empresa, o melhor sistema de treinamento, o melhor patrocinador e a melhor Linha Ascendente, se você não trabalhar. Inclusive esse é o principal motivo pelo qual ninguém pode lhe garantir sucesso no Marketing de Rede, já que o trabalho depende de você.

Sucesso só vem antes de trabalho no dicionário.

Vírus 2: Medo
Vou lhe dar duas notícias – uma boa e outra má. A má notícia: ninguém está imune o vírus do medo. É como o vírus da gripe: volta e meia você é infectado novamente… Agora a boa notícia: podemos superar nossos medos!

O vírus do medo é extremamente perigoso, pois rouba a iniciativa do homem. Contudo, a maior parte do medo é psicológica, existe apenas na mente das pessoas. Vem de uma imaginação negativa. Mais, na verdade o medo existe. Negar simplesmente a sua existência não o cura. O medo é real, mesmo que aquilo que o esteja gerando não o seja.

Aprenda que toda confiança é adquirida
Muitas vezes nos sentimos fracos e, ao olharmos para algumas pessoas, nos parece que elas nunca tiveram medo, nunca conheceram o fantasma da dúvida. Entretanto, TODOS já sentiram medo! O medo é uma das “fraquezas” humanas; logo, se você é humano… vai sentir medo algumas vezes na sua vida! O medo sempre surge quando nos deparamos com algo desconhecido e é um alerta que a natureza nos deu para nossa própria sobrevivência. O problema acontece quando nossa mente aumenta (e muito!) alguma “ameaça”. Veja, por exemplo, o medo de falar em público: esse é um bom exemplo de uma “ameaça” aumentada pela nossa imaginação.

Mas todos os grandes oradores afirmam que já sentiram medo à frente de uma plateia. Alguns deles tinham imenso pavor de falar em público, as mãos suavam, as pernas tremiam, o estômago doía… mas aprenderam a dominar o medo e adquirir confiança! Você também pode dominar o medo de falar em público (ou qualquer outro medo). Nós somos capazes de adquirir confiança pouco a pouco.

A Cura: Ação
Como aqueles oradores que citei há pouco se livraram do medo de falar em público? Da mesma forma que você pode se livrar de qualquer medo que tenha: enfrentando-o! O medo é covarde. Ele não suporta que você dê um passo em sua direção: ele FOGE.

Enfrente seus medos. Aceite seus DESAFIOS e VENÇA-OS. Coragem não é falta de medo. Coragem é enfrentar e superar o medo!

Quanto mais você praticar, melhor vai ficar. Isso indica que quanto mais cedo iniciar algo, mais cedo você ficará bom nisso. Tudo que é novo causa alguma insegurança, mas na medida em que fazemos, tornamo-nos mais seguros e capazes.

Você tem medo quando você não tem o controle da situação. A preparação para a ação lhe dará maior segurança, mas sempre haverá algo que você não consegue controlar, então, nesta hora, não se preocupe, aja. A ação irá curar o resquício do medo.

AJA COMO VOCÊ GOSTARIA DE SER. A questão não é “não sinto coragem, logo não pratico atos de coragem e, consequentemente, não sou corajoso”. A questão é: “vou agir com coragem, logo serei corajoso e, consequentemente, sentirei coragem”.

Vírus 3: Perfeição
O vírus do perfeccionismo gera uma doença chamada paralisia da perfeição. Aqueles que sofrem dessa doença da alma estão sempre esperando as condições perfeitas para tomarem atitudes importantes. Como as condições perfeitas não existem, e nunca existirão, eles nunca agem, ficam paralisados pelo seu anseio de perfeição.

Aguardar até que todas as condições estejam perfeitas é aguardar para sempre!

Outros, ainda, acham que nunca estão prontos para a ação. Ficam numa preparação sem fim… fazem tantos treinamentos que não tem tempo para colocar aquilo que foi aprendido em prática.

Não pense que você tem que ser perfeito para fazer o negócio, que tudo tem que estar no lugar certo. Comece agora. Faça. Você se desenvolverá junto com o seu negócio!

A Cura: Iniciativa
A vacina para o vírus do perfeccionismo se chama iniciativa. A única maneira de iniciar é… iniciando. O melhor momento é agora. Não se deixe envolver pela “paralisia da perfeição”, não espere que tudo esteja perfeito para tomar o próximo passo. Faça o seu melhor e siga em frente. Mantenha-se sempre em movimento.

Não diga “depois”, não diga “amanhã”, não diga “quando eu terminar de ler este livro”. Diga “AGORA”. “Eu quero e eu VOU”.

Não se preocupe com os possíveis erros. Entenda que errar é humano e os erros são necessários para o seu aprendizado. Além do mais, o maior erro que pode existir é não agir!

Não estou dizendo que você deva ser um “relapso”. Há uma diferença muito grande entre aquele que deseja acertar e FAZ tudo para isso e aquele que não se preocupa com os erros e as suas consequências. O problema do perfeccionista é que ele não admite o erro. Desta forma, fica paralisado, pois não tem coragem de ousar, arriscar, decidir, assumir responsabilidades, pois fica preocupado em não conseguir conviver com um possível erro.

A melhor forma de se chegar ao topo de uma árvore não é sentar na semente.

OBS: Reproduzido aqui com a autorização do autor, este artigo é um capítulo do livro “Guia de ação”, reeditado em 2014. Para adquirir a obra completa, entre em contato diretamente com o autor:
http://www.facebook.com/livroguiadeacao