O alpinista é uma pessoa que está buscando, a todo momento, novos desafios e oportunidades de superação. Ele tem um objetivo principal: escalar uma montanha e chegar ao topo. Ao longo de sua caminhada, ele percorre um longo trajeto até a vitória final. Mas antes, precisa planejar cada detalhe e cada etapa de seu percurso. O estudo é minucioso, a preparação deve ser física, mental, espiritual e psicológica.

De maneira análoga, em nossa vida podemos escolher ser “alpinistas”, pessoas que não se acomodam na zona de conforto, que buscam o melhor para si e seus familiares, sua comunidade e seu país; que não suportam uma vida mesquinha e cheia de privações, de dificuldades em relacionamentos, dificuldades financeiras e sacrifícios. Seu objetivo é o topo, ou ir além do topo, obter realizações, abundância, reconhecimento, bem-estar, saúde, paz de espírito, riquezas e prosperidade para si e para todos que possa influenciar.

Mas como se tornar um “alpinista” no meio de uma massa homogênea, de pensamentos e comportamentos medíocres e de pessoas que procuram apenas o básico para sobreviver? Como não se deixar contaminar por influências negativas de pessoas próximas que passam a vida inteira se queixando, porém não são capazes de mover uma palha, de buscar a mudança interior, o rompimento de paradigmas, superar crenças e valores limitadores, cujas potencialidades intrínsecas dadas pelo Criador é mal aproveitada por estes indivíduos?

Antes de tudo, é preciso que, para se tornar um “alpinista”, tenhamos a consciência de quem somos e aonde queremos chegar, de nossa missão como ser humano e da responsabilidade que devemos assumir na vida.